Parque das Ruinas em Santa Teresa

Meus queridos leitores,

Estava aqui em busca de uma nova postagem para apreciação de vocês, e encontrei algumas fotos que fiz no Parque das Ruínas e junto com elas descrevo um pouco mais deste belo ponto turístico em Santa Teresa.

Parque das Ruinas - Foto por Esdras Eliwan
O parque das Ruinas fica ao Lado do Museu Chácara do Céu, perto da estação Curvelo, em Santa Teresa, na Rua Murtinho Nobre, 169 e se torna um belíssimo mirante que deixa o Rio de Janeiro aos seus pés. De lá, tem-se uma visão extraordinária do centro da cidade e de toda a orla do Rio – desde o Aeroporto Santos Dumont até a Urca. Logo abaixo estão os Arcos da Lapa. Aberto ao público, o Parque foi o que restou do Palacete Murtinho Nobre, onde morou Laurinda Santos Lobo.

Parque das Ruinas - Foto por Esdras Eliwan

O Parque foi criado em 1996 por iniciativa da prefeitura do Rio de Janeiro, através da Secretária de Cultura da Cidade. O projeto é dos arquitetos Ernani Freire e Sônia Lopes. O projeto somou às ruínas do palacete neo-colonial estruturas em ferro e vidro, dentro de uma abordagem que se poderia chamar de pós-moderna. As estrutras criadas também fortalecem a casa e criam espaços de circulação interna em vários níveis, até alcançar o último nível, onde situa-se o mirante. O objetivo do Parque é oferecer espaço agradável para a cultura e e também para lazer e contemplação.

A casa foi um dos pontos mais efervescentes da vida cultural carioca durante muitos anos, até a morte da anfitriã, em 1946. A Prefeitura fez renascer das ruínas a cultura que ali existiu. O parque abriga uma sala de exposições, auditório e cafeteria, garantindo conforto a shows musicais, happy hours e leitura de textos literários. Nas áreas ao ar livre se destacam concorridos shows e uma programação especial para as crianças nos finais de semana. Com três andares, a casa chama atenção também por sua arquitetura e estilo - tijolos aparentes combinados harmoniosamente com estruturas metálicas e de vidro.

Parque das Ruinas - Foto por Esdras Eliwan
Em um painel de metal, exposto no local, existe um breve relato da história do casarão e dos fatos lá acontecidos:

"Foi uma época áurea do bairro de Santa Teresa. Plantada no elevado de onde se descortinava toda a cidade, ali estava a casa, parecida com sua dona, audaciosa combinação de vários estilos. Artistas, intelectuais, voltejavam em torno dela. No mirante dançou Isadora Ducan, tocou Villa Lobos. Suas vozes, seus passos, seus risos, ainda ecoam. Antes era uma casa, agora é puro milagre. Laurinda flutua, dança ao luar, ao som de Villa Lobos, envolta em nuvens, puxando para si os véus de Isadora. Laurinda Santos Lobo, deidade do Rio, nascida em 04 de maio de 1878, saida do mundo em 18 de julho de 1946 nos recebe todos." (Rachel Jardim)

One Response so far.

Leave a Reply